Menu

Meu primeiro livro no Marketing Multinível

O primeiro livro que li quando iniciei no mercado de Marketing Multinível foi: Como fazer amigos e influenciar pessoas, escrito por Dale Carnegie.

No ano de 1996, tive o meu primeiro contato com o Marketing Multinível.

Fiquei realmente encantado com a possibilidade de conquistar minha liberdade financeira antes dos 30 anos de idade.

Na época estava com 19 anos e fiz meu cadastro na empresa Amway ao conhecer a história de um jovem milionário aos 23 anos.

Após meu cadastro me conectei ao sistema oficial de treinamento da empresa chamado PRO NET.

Recebi um BOX cinza com várias fitas cassetes (sim não era CD ou MP3) e um livro que me chamou muito a atenção.

Tenho que confessar que o título do livro inicialmente me despertou certo preconceito.

Porém, após a leitura das primeiras páginas, descobri princípios fundamentais que aplicaria por toda minha vida pessoal e profissional.

Como fazer amigos e influenciar pessoas é um best seller no Marketing Multinível.

É um dos primeiros livros que aconselho meus downlines a ler quando iniciam seus negócios.

A arte de se relacionar

O Marketing Multinível está intimamente ligado a arte de se relacionar e influenciar pessoas.

Não estamos falando de manipulação, que considero errada, e sim persuasão que considero legítima.

Persuadir ou influenciar pessoas para o seu modo de pensar irá transformar sua vida e seus negócios.

O milionário John D. Rockefeller certa vez afirmou:

“A habilidade para lidar com as pessoas é um produto pelo qual se paga como pelo açúcar ou café. Eu pagarei mais por essa habilidade, do que por qualquer outra debaixo do sol”.

Rockefeller entendia o valor de saber se relacionar com as pessoas e influenciá-las para a sua maneira de pensar.

Desde sua primeira edição em 1937, o livro já passou por inúmeras revisões.

Recentemente foi lançada uma edição que aplica os mesmos princípios, porém contextualizados aos relacionamentos digitais nas redes sociais.

Agora, vamos estudar 3 princípios fundamentais apresentados no livro sobre a arte de se relacionar e influenciar pessoas.

 

Técnicas fundamentais para influenciar pessoas

Princípio 1: Não critique, não condene, não se queixe.

Somos por natureza críticos e diariamente somos incentivados a críticas.

Normalmente conseguimos enxergar os problemas a nossa volta com muita facilidade.

Conseguimos ver os erros dos outros muito melhor do que os nossos próprios erros.

Criticamos os políticos, patrões, filas, atendimentos, produtos, serviços , nossos amigos e principalmente familiares.

Infelizmente, por ser um hábito, existe uma forte barreira para se abandonar essa prática.

Porém o primeiro princípio que o livro nos ensina é justamente eliminarmos a crítica de nossas vidas.

O autor destaca que, mesmo justificadas, nossas críticas não nos levarão a lugar algum.

Ele questiona: Quando criticamos uma pessoa ele tem a tendência de se defender ou mudar?

Quase que 100% das vezes as pessoas se justificam e como forma de defesa, também nos criticam.

Certa vez, perguntaram ao ex-presidente Benjamim Franklin, “Qual o segredo do seu sucesso?”, ele respondeu com a seguinte frase:

“Não falarei mal de nenhum homem, apenas falarei tudo de bom que souber de cada pessoa”

Dale Carnegie faz uma forte observação sobre a crítica.

Ele diz que: “qualquer idiota pode criticar, condenar e queixar-se, mas é preciso ter caráter e autocontrole para saber perdoar.”

O exemplo de Abraham Lincoln

O autor ainda conta uma história sobre como Abraham Lincoln soube perdoar um general de guerra por não seguir suas ordens.

Diz o livro que Lincoln chegou a escrever uma carta despejando toda sua ira sobre o general, porém essa carta nunca foi enviada.

Após sua morte a carta foi encontrada entre suas anotações.

Lincoln aprendeu, através de muitas experiências, como se colocar genuinamente no lugar das pessoas antes de criticá-las.

Ao fazermos isso, ensina ou autor, perdemos a capacidade de criticar, julgar ou condenar o próximo.

Para encerrar o autor questiona: “Se o próprio Deus, Senhor, não se propõe julgar o homem até o final de seus dias”. Por que o faríamos, você e eu?

Princípio 2: Faça um elogio honesto e sincero.

Após demonstrar como a crítica é extremamente destrutiva o autor passa para o segundo princípio.

Ele funciona como um antídoto contra a crítica e se consiste em sempre fazer um elogio honesto e sincero.

O autor destaca que não se trata de bajulação barata e interesseira.

Pelo contrário, sabemos que as pessoas percebem quando isso acontece e se tornam cuidadosas ao se deparar com esse tipo de comportamento.

Receber um elogio verdadeiro é um dos maiores anseios do ser humano.

Mas como esse anseio por ser suprido?

Freud já afirmava que um dos dois maiores motivos que movem os homens é o “desejo de ser grande”.

Dale também afirma que um dos mais profundos desejos humanos é “o desejo de ser importante”.

Ao observar a teoria da hierarquia das necessidades humanas, criada por Maslow, vemos a realização pessoal e autoestima no topo da pirâmide.

O autor conta exemplifica essa questão contando sobre uma história vivida por seu pai.

Seu pai era criador de porcos da raça Duroc-Jersey e gados de “focinhos brancos”.

Por diversas vezes seus animais foram premiados em feiras e exposições.

A cada participação de um evento, seu pai pendurava os prêmios recebidos (fitas azuis, a mais alta distinção) para que os visitantes observassem.

Ele se sentia muito importante e se orgulhava dos reconhecimentos, enquanto os animais sequer sabiam do que estava acontecendo.

“Se você me disser que se sente importante eu lhe direi quem é você. Isto determina o seu caráter”, afirma Dale Carnegie.

Um dos primeiros homens da área comercial nos Estados Unidos a receber um salário superior a um milhão de dólares anualmente foi Charles Schwab.

O livro traz uma frase de Schawb, sobre sua forma de tratar as pessoas. Ele diz:

“…estou para encontrar o homem, seja qual for a sua situação, que não tenha feito melhor trabalho e nele posto maiores esforços sob um espírito de aprovação do que se tivesse de faze-lo sob o espírito da crítica.”

Uma das virtudes mais negligenciadas no nosso dia-a-dia é a valorização do próximo.

Geralmente gastamos 95% do nosso tempo pensando em nós mesmos e em nossos próprios interesses.

Portanto, seja sincero na sua aprovação e pródigo no seu elogio e as pessoas prezarão suas palavras, guardando-as e repetindo-as durante toda a vida.

Princípio 3: Desperte na outra pessoa um ardente desejo

“Aquele que conseguir isto terá todo o mundo a seu lado. Aquele que não o conseguir, trilhará um caminho solitário.”

Ao iniciar o último princípio com a frase acima, o autor já demonstra a importância de se despertar nas outras pessoas um ardente desejo.

Ele faz uma breve, simples, porém profunda reflexão, contando sobre sua experiência ao pescar.

“Quando vou pescar, não penso sobre o que mais me agrada. Penso sobre a predileção dos peixes. Meu primeiro cuidado é não iscar o anzol com morangos com creme. Penduro sempre uma minhoca.”

Então, questiona o autor, por que não usarmos o mesmo senso prático no pescar os homens?

O único meio existente na terra para influenciarmos uma pessoa é falarmos sobre o que ela quer e mostrar-lhe como pode realizar.

Cada ato que realizamos em nossas vidas, desde o nosso nascimento, foi porque desejávamos algo.

“A ação emana daquilo que fundamentalmente desejamos…”

A história de Tim e o jardim de infância

O garoto estava irredutível quanto a começar suas aulas no jardim de infância.

Sendo assim, os pais do garoto e seu irmão, começaram a brincar de pintar com os dedos sobre a mesa da cozinha.

Não demorou muito para Tim perceber a alegria deles e também desejar participar.

Nesse momento o pai o impediu dizendo que ele não poderia fazer isso, pois somente poderia participar que aprendesse a pintar no jardim de infância.

Ao mesmo tempo começaram a contar sobre as muitas atividades que ele faria ao ingressar na escola.

Para finalizar a história, adivinhe quem estava em pé na cozinha no dia seguinte, esperando para ir à escola?

Portanto, antes de abordar alguém sobre algo que você deseja, pergunte a si mesmo: Como poderei fazer com que ele queira isto?

Aplicando os 3 princípios ao Marketing Multinível

Existe um ditado em nosso negócio que diz: Sorria para baixo e chore para cima.

Ao aplicar o primeiro princípio percebemos que devemos evitar qualquer tipo de reclamação, crítica ou condenação.

Vemos muitos distribuidores criticarem suas empresas, seus planos, seus produtos.

Em alguns casos criticam publicamente até outras empresas.

Se você deseja ser um líder que realmente atrai as pessoas, tenha uma personalidade agradável e conciliadora.

Evite a todo custo a crítica a tudo o que for relacionado a empresa, patrocinador, uplines e downlines.

Busque sempre elogiar, busque sempre algo de bom e interessante que você possa valorizar.

Valorize seus produtos, seus parceiros de negócio, cada progresso de sua equipe.

Mesmo que você precise fazer uma crítica, primeiro mostre como a pessoa é importante e especial para o negócio.

Somente depois, em forma de instrução, mostre o que precisa ser feito ou mudado.

Para finalizar as pessoas nunca desejarão realizar o trabalho em nosso mercado se não estiverem convencidas de que estão buscando algo para elas mesmas.

Encontre o que cada pessoa mais deseja.

Seja um carro, uma casa, ter estabilidade financeira, mais tempo ou qualidade de vida.

Só então mostre como isso será possível, caso ela inicie o trabalho com o Marketing Multinível.

Em nosso trabalho, aprender sobre pessoas é muito mais importante do que aprender sobre o plano de marketing ou produtos.

Grande abraço e sucesso!

Gostaria de ouvir sua opinião sobre nosso Blog.

Você pode me enviar um e-mail para ricardo@doutormultinivel.com.br ou mensagem de WhatsApp para +55 19 99181-6856.

Se preferir deixe seu comentário abaixo.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *